Dr Guilherme Targino

Atenção à todos os detalhes

Acolhimento da primeira à última consulta.

Mastopexia com Prótese

Mastopexia com Prótese

Com o passar do tempo muitas mulheres se queixam da aparência dos seios. Com a idade, os seios ficam flácidos e perdem o volume. Outros fatores como gravidez também podem contribuir para a perda de rigidez e caimento dos seios.

Por isso, tem aumentado o desejo de muitas mulheres em realizar uma cirurgia plástica nos seios porque estão insatisfeitas com sua aparência, no entanto, tal procedimento requer atenção e cuidado desde a escolha do consultório e do profissional que irá realizar a cirurgia até os riscos que o paciente assume ao realizar uma cirurgia plástica.

A mastopexia (elevação de mamas) é uma cirurgia que tem como objetivo reverter o caimento natural dos seios. É indicada principalmente no caso de mulheres que desejam reverter o quadro de flacidez da pele das mamas e recuperar a elevação das mamas até sua posição original, garantindo simetria.

Embora seja um procedimento menos conhecido do que outros que também tem o propósito de melhorar o aspecto da mama, a mastopexia também é realizada por um cirurgião plástico com o objetivo de alterar a forma ou a posição dos seios e deixá-los ao mais próximo possível da forma e posição originais.

A cirurgia também é recomendada para pacientes que desejam remover o excesso de pele em torno da mama que foi esticada durante a gravidez ou devido a alterações no peso.

A cirurgia de Mastopexia (Elevação de Mamas)

As mulheres que estejam interessadas em realizar a mastopexia (elevação das mamas) devem procurar por um cirurgião plástico. O profissional vai conversar com a paciente para saber qual seu histórico e suas condições médicas atuais. Em seguida examinará seus seios, incluindo a posição dos mamilos e aréolas e analisará a qualidade da pele da paciente. Essa avaliação é importante e influencia no resultado final da cirurgia: uma pele vigorosa assegura uma melhor posição dos seios depois da mastopexia.

Nessa primeira consulta cabe ao paciente dizer o que espera após o procedimento, ou seja, ela deve informar ao cirurgião quais os seus desejos e expectativas ao realizar a mastopexia (elevação das mamas). O cirurgião deve informá-la sobre qual a viabilidade de que seus desejos sejam atendidos.

Existem várias técnicas que são usadas no procedimento de mastopexia (elevação das mamas). Isso vai variar de acordo com a escolha ou experiência de cada profissional. A técnica específica escolhida pelo cirurgião determinará a localização das incisões e as cicatrizes que resultarão do procedimento.

O cirurgião pode fazer incisões em torno da aréola, estendendo-se para baixo até os sulcos mamários e/ou horizontalmente ao longo dos vincos mamários ou pode por pontos nos seios para remodelar o tecido mamário e, se necessário, reduzir o tamanho da aréola.

Em seguida, o médico removerá o excesso de pele das mamas e vai mover a posição dos mamilos elevando os mesmos a uma posição mais alta. Em seguida, fechará as incisões. A cirurgia pode ser realizada com anestesia peridural ou anestesia geral, sendo o tempo cirúrgico médio entre 4 a 6 horas e a mulher pode deixar o hospital no mesmo dia.

Pré-operatório da mastopexia (elevação das mamas)

Antes da cirurgia de mastopexia (elevação das mamas), o paciente deve tomar algumas providências que são necessárias como realizar uma mamografia e ultrassom para ajudar o médico no procedimento cirúrgico. Esses exames são realizados com o objetivo de detectar possíveis lesões ou alterações nas mamas, como cistos ou nódulos.

Além destes, também são exigidos exames necessários antes de qualquer cirurgia (hemograma completo e avaliação da coagulação do sangue). O paciente também deve parar de fumar, porque o fumo diminui o fluxo sanguíneo na pele e pode atrapalhar o processo de cicatrização.

É aconselhado que se evite certos medicamentos, como aspirina, anti-inflamatórios e suplementos de ervas, que podem aumentar o sangramento. O peso deve ser controlado e o paciente precisa estar saudável antes de realizar a mastopexia.

Por último, é sempre bom ressaltar que o paciente vai precisar de ajuda de familiares antes de ser internado para a realização do procedimento. Durante a recuperação, familiares e amigos são fundamentais para ajudar as mulheres na execução das atividades diárias, como tomar banho e trocar de roupa, por exemplo.

Pós-operatório da mastopexia (elevação das mamas)

Depois da operação, os seios provavelmente serão cobertos com gaze e a paciente deve usar um sutiã por 30-45 dias. Durante esse período ela deve evitar esforço e movimentos bruscos como a elevação dos braços acima dos ombros para não ocorrer alargamento das cicatrizes. Após esse período, ela deve retornar ao consultório para troca de curativos entre 5-7 dias.

Os seios ficarão inchados por cerca de duas semanas e a paciente pode sentir dor ou sensibilidade ao redor das incisões, que ficarão avermelhadas ou rosadas por algum tempo.

A prática sexual deve ser evitada por pelo menos uma a duas semanas após a cirurgia e as atividades profissionais só estão liberadas após 4 semanas da realização da cirurgia. Os pacientes que desejam voltar a realizar atividades precisam consultar o médico, pois os exercícios são liberados gradativamente de acordo com a evolução pós-operatória.

Enquanto esteja se recuperando, a paciente não deve expor seus seios ao sol. O resultado final é atingido por volta de 6 meses após o procedimento. As cicatrizes com o tempo vão ficando mais suaves e menos aparentes. Para se conseguir um bom resultado final é necessário que os cuidados pós-operatórios sejam cumpridos à risca, por isso, deve-se fazer repouso e evitar movimentos bruscos que possam comprometer a cirurgia.

Muitas mulheres têm receio em relação à amamentação após realizarem a mastopexia (elevação das mamas), no entanto, na grande maioria das técnicas utilizadas no procedimento, a capacidade de amamentação é preservada. É recomendável não se fazer qualquer correção de mamilos até que não se esteja amamentando mais.

A escolha de um bom cirurgião plástico é fundamental. Um bom profissional deve perguntar sobre as expectativas de cada paciente antes da realização da cirurgia plástica. O atendimento deve ser individualizado, respeitando os desejos de cada paciente.

Cada cirurgião deve orientar seus pacientes sobre qual procedimento é o mais indicado para as suas necessidades. É fundamental que ele dê informações sobre o procedimento cirúrgico, quais os riscos de cada cirurgia, tipo de anestesia que o paciente vai ser submetido, internação, repouso, restrições no cotidiano durante o período de recuperação e cuidados gerais.

Riscos da mastopexia (elevação das mamas)

Todo procedimento cirúrgico apresenta riscos e com a mastopexia (elevação das mamas) não é diferente, no entanto, as chances de complicações são mínimas.

Após a cirurgia plástica de mastopexia, o paciente pode ficar com as cicatrizes deformadas, caso o procedimento não tenha sido realizado de forma correta. Também podem ocorrer sangramento e formação de hematoma, além de alterações na sensibilidade do mamilo ou da mama.

Há a possibilidade de que as mamas fiquem assimétricas e com contorno e forma irregulares. Caso isso aconteça, pode ser corrigido através de outras cirurgias. Vale ressaltar que são riscos raros de acontecer, principalmente quando o procedimento é realizado com um bom cirurgião plástico.

A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) recomenda que os pacientes pesquisem e apenas realizem cirurgias com médicos aptos para esse tipo de procedimento.

O paciente deve checar se o médico responsável pelo procedimento tem cadastro ativo no Conselho Regional de Medicina da região em que atua e se, de fato, é habilitado em cirurgia plástica.

Além disso, é recomendado pesquisar no site da SBCP se o profissional é filiado à entidade.

Por fim, é possível que haja descoloração da pele e alterações da pigmentação. Alguns sintomas como inchaço e dores prolongadas também são possíveis. Nesse caso, é necessário um novo procedimento cirúrgico para retoque.

Contraindicações da mastopexia (elevação das mamas)

Indivíduos que possuem doenças autoimunes, como lúpus eritematoso sistêmico, ou doenças crônicas descompensadas, como diabetes, hipertensão ou insuficiência cardíaca, devem evitar a cirurgia de mastopexia (elevação das mamas), pois tal procedimento pode agravar o quadro da doença.

Resultado final da mastopexia (elevação das mamas)

O resultado final aparecerá ao longo dos meses. Após cumprir todas as orientações no pós-operatório, a recuperação acontece de forma espontânea e a paciente já consegue ver o resultado final da cirurgia.

Em média, após um ano é possível ver os resultados definitivos, ou seja, qual a forma e a posição da mama desejadas pela paciente quando decidiu se submeter a esse procedimento. Durante esse período, as alterações de cicatrização são vistas mais finas e claras do que antes.

A paciente não precisa se submeter a uma nova cirurgia, caso a mama volte a cair. Caso isso aconteça, uma nova cirurgia das mamas apenas acontecerá em casos graves, como quando a paciente apresentar grande qualidade da pele (firme ou flácida) nas mamas, sobrepeso, envelhecimento e amamentação.

Eu e você juntos na jornada pela realização do seu sonho

whatsapp Agende sua Avaliação
whatsApp Posso Ajudar?